PMA atende maus tratos a 241 espécimes da fauna diversa

Por: 3º Sargento Celiane Schaefer, em 25/04/2018


Guarnição da Polícia Militar Ambiental, após denúncia de maus tratos e comércio ilegal de animais, deslocou até o Bairro Quedas do Palmital, na cidade de Chapecó, onde constatou, após vistoria no local, flagrante de negligência e maus tratos a diversos animais.

Verificou-se a existência de várias espécies entre animais exóticos, domésticos e silvestres em situação de maus tratos, totalizando 240 vivos e um morto. Ficou evidenciado que no local grande parte das aves, coelhos, cães e galinhas estavam em situações precárias de acondicionamento e de higiene, encontrando-se em desacordo com os padrões mínimos de sobrevivência previstos na legislação ambiental.

Foi constatado também quantidade excessiva de fezes nas gaiolas, viveiros e canil, havendo fezes dentro dos recipientes de água e comida dos animais, grande infestação de ratos no local, muitos animais doentes e alguns com sangramento, outros com lesões aparentes.

Ressalta-se grande quantidade de ratos dentro dos locais (salas) onde as aves estavam presas, verificado que tais salas não apresentavam qualquer tipo de ventilação adequada ou incidência de luz solar, simplesmente as aves estavam no escuro em um dos viveiros. Já em outro recinto foram observadas que duas pequenas gaiolas (uma contendo 43 unidades e a outra 36 unidades) de pássaros da espécie Canário Belga, praticamente todos em situação deplorável.

Toda a ação dos policiais foi acompanhada pelo proprietário da residência, fiscais da Vigilância Sanitária, bem como por uma Médica Veterinária. As espécimes foram apreendidas e os que necessitavam com maior urgência de atendimentos, foram levados para tratamento médico veterinário, já outros foram levados até o Hospital Veterinário em Xanxerê para procedimentos necessários. Sendo que outros, como por exemplo, os pássaros nativos, em sua maioria, foram levados até a polícia ambiental para verificação de anilhas, as quais já se observou possuírem irregularidades. O autor do fato responderá por dois crimes ambientais.

Texto 3°Sgt Celiane Schaefer Fotos: Guarnição Operacional