O PROERD em Santa Catarina


Com a missão de “Capacitar crianças, adolescentes e adultos para resistirem às drogas e à violência, através de ações de polícia ostensiva de caráter educacional, realizada por policiais militares habilitados, em instituições públicas, privadas e comunitárias, integrando Polícia Militar, família e escola para a valorização da vida e a construção de uma sociedade mais justa, sadia e feliz” (planejamento estratégico 2009) o Programa Educacional de Resistência às Drogas – Proerd vem, a cada ano, atingindo índices que tem chamado a atenção de muita gente.

Ao longo dos 17 anos de existência em Santa Catarina foram muitos os avanços do programa.
Especialmente o relacionado com a quebra de paradigma, tornando policiais militares altamente treinados para atuarem nas mais diversas situações, inclusive em confrontos armados, adquirirem, após um novo treinamento, a capacidade de serem educadores sociais e serem capacitados a mudar comportamentos de crianças. Algo muito diferente aos que se acreditava ser a missão da instituição. As coisas evoluem...

O policial militar treinado para mudar comportamentos só consegue isso quando seu próprio comportamento é mudando ou ele percebe que precisa mudar seu comportamento.

Esta mudança ocorre em um intervalo de 2 semanas de formação, em incríveis 106 horas/aulas. O que gera essa mudança? Bom, sinceramente, nem nós sabemos...

Esta capacidade de “transformar profissionais de segurança pública” fez com que Santa Catarina tornasse referência em formação de Policiais Militares em Instrutores para o Programa em todo o País.
Os resultados dos dois primeiros anos foram tão significativos que fizeram com que a PMSC se transformasse em Centro de Treinamento do D.A.R.E. fora dos Estados Unidos. Santa Catarina tornara-se, no ano de 2000, o 4º Centro de formação de instrutores Proerd do Brasil, juntando-se com as Polícias Militares do Estado do Rio de Janeiro ( onde tudo começou), São Paulo e Distrito Federal e tendo já nos anos seguintes, assumido a frente dos trabalhos no país inteiro e tornado referência internacional em formação pelo DARE Internacional (ONG que administra o programa em nível mundial).

Sob a coordenação de Santa Catarina foram formados policiais para para atuarem no Proerd em mais de 24 Estados da federação.

Com qualidade na formação já consolidada, chegara um novo momento: O da necessidade de um choque de gestão onde o foco agora seria voltando à atenção para a execução do programa no Estado catarinense.

Com as trocas de governos e, consequentemente de comandos, a coordenação precisou estabelecer algo que, de forma estratégica, possibilitasse que o Programa se tornasse algo de Estado, e não algo simplesmente institucional ou de governo. Então, se iniciou em 2007 um estudo detalhado sobre o Proerd em Santa Catarina. Um Diagnóstico minucioso onde nem a menor cidade do Estado escapou.

Agora voltado para a qualidade do programa em sua execução gerou a necessitade da busca pela melhoria contínua de todos os processos produtivos, principalmente com uma maior capacitação pedagógica e intelectual dos instrutores.
Os encontros, que ocorriam desde o ano de 1999, se tornaram Seminários Estaduais com palestras, cursos, oficinas temáticas e com a realização destes eventos nos melhores centros de convenções do Estado, oportunizando qualidade ainda maior na formação. Tanto o é que diversas repartições da PMSC utilizaram o modelo Proerd de eventos para aperfeiçoar os seus.

Com resultado das ações iniciais o programa atingiu marcas fantásticas. Os números do programa chegaram a patamares gigantescos, gerando a necessidade de uma gestão mais profissional, confiável e técnica destes dados. Então, em 2009, nasce o internamente famoso SisProerd – Sistema de Gestão do Proerd da PMSC.

O SisProerd, único do gênero no país e que, inclusive, vem sendo estudado pelo governo federal para ser padronizado a todas as policiais militares do Brasil. Com o SisProerd foi possível recuperar as informações do período de 1998 à 2008 e contabilizá-los aos dos anos vindouros. As mudanças geradas pela criação do SisProerd foram tão significativas que obrigou à Coordedoria Executiva reestruturá-lo por completo, sendo lançado em 2014 o novo SisProerd, agora chamado de SisProerd 2.0.

Já no primeiro ano do Sistema, os dados registrados oportunizaram ao comando geral da PMSC firmar uma parceria inédita com o Governo do Estado: Foi assinado o Decreto 2817/2009 que confirmara o PROERD como Política de Estado, e institucionalizando o mesmo, possibilitou o repasse de recursos que cobririam 100% do custo programa.

Estes recursos deveriam, devem e deverão ser repassados pelas Secretarias de Estado da Saúde, Educação e Segurança Pública no início de cada ano letivo. De acordo com o decreto, as três secretarias assumem o repasse de aproiximadamente 33,33% do cursto estabelecido para cada criança de 5º ano, totalizando, na epóca R$ 10,00 por criança/ano. Atualmente o valor não passa de R$13,00.

Com este ato o Proerd da Polícia Militar de Santa Catarina se tornava autosuficiente.

Mas a instituição ainda possuía outra grande meta a ser atingida. Além das metas de 80% estabelecidas quando da instituição do Plano de Comando, estava na iminência de conhecermos “A Criança UM MILHÃO.”

E Tudo deu certo! Durante o ano de 2013 a coordenadoria Estadual contabilizou 87,65% de todos os alunos de 5º ano de toda a rede de ensino do Estado, e além disso, atentamente, acompanhou cada criança que era inserida no sistema pelos instrutores. Uma a uma eram registradas... o montante, que no início do ano rondava a casa dos 960.000 alunos, estava cada vez mais próximo do tão esperado "aluno 1.000.000".

Então, no início do segundo sementre de 2013 um aviso sonoro (um rugido de leão) avisou a coordenadoria que a marca tinha sido alcançada. seria apresentada a Sociedade catarinense a tão esperada criança 1.000.000.

A cidade do sul do Estado, distante 230 km de Florianópolis, com uma população de um pouco mais de 13.000 habitantes, onde 95% da população é de descentes de italianos entrou para a história do Proerd catarinense. O aluno um milhão era da cidade de Nova Veneza.

Guilherme Bortolotto Peritto, estudante do 5º ano da Escola Julieta Torres Gonçalves, no Distrito de São Bento Baixo, filho de uma professora da rede pública de ensino e de um motorista de caminhão foi a criança de nº 1.000.000 a ser registrada no Sistema de Gestão do Proerd (SisProerd).
Guilherme foi apresentado ao público durante o 14º Seminário Estadual do Proerd, realizado no Thermas Resort-Itá, na cidade de Itá (SC).

Para a Polícia Militar de Santa Catarina, o aluno Guilherme é um dos troféus mais importantes de todos os 181 anos de sua história, por poder representar os mais de 1/6 da população catarinense que já passaram pelas salas de aula da Rede de Ensino, onde um dos mais de 700 instrutores, durante estes últimos 17 anos tiveram a oportunidade de repassar ensinamentos, a um publico, com o objetivo de tornar a nossa sociedade mais sadia, segura e muito mais responsável.

Nestes quase 18 anos estivemos em 265 cidades de 295. Gostaríamos de estar em todos mas isso ainda não é possível.

Em 16 de Março de 2016 o Proerd catarinense completa 18 anos de História, e até o final de 2015 foram contabilizados 1.181.127 catarinenses vacinados para dizer não às drogas e à violência por estarem aptos a tomarem decisões saudáveis, seguras e responsáveis.

‪#‎nossomosoproerd‬
‪#‎nossomospmsc‬
‪#‎teamproerd‬