Ambiental (BPMA)

Polícia Militar Ambiental

A Polícia Florestal do Estado de Santa Catarina surgiu pela primeira vez em 1962, com sede na cidade de Curitibanos, sendo extinta em 1979. Em 1983, a Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) volta a ter atribuições de policiamento de manancial e florestal e, em 1989, a Constituição Estadual atribuiu também à Polícia Militar a competência da proteção ao meio ambiente. Desta forma, em 1990, a Lei nº 8.039, criava a Companhia de Polícia Florestal (CPF), que passou a atuar efetivamente no dia 6 de maio de 1992.

Através do Decreto nº 3.569, de 27 de março de 1993, a CPF passou a denominar-se Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (CPPA) “Dr. Fritz Müller”, que é o pai da ecologia catarinense. Uma justa homenagem ao “Príncipe dos Observadores”.

Em cerimônia realizada no dia 22 de setembro de 2005, na sede do Parque da Serra do Tabuleiro, em Palhoça, o então governador do Estado, Luiz Henrique da Silveira, prestigiou a Guarnição Especial de Polícia Militar Ambiental, e promoveu a entidade, dando a mesma a estrutura de Batalhão de Polícia Militar Ambiental, com sede em Florianópolis, e com unidades em Palhoça, Laguna, Joinville, Lages, Blumenau, Rio do Sul, Chapecó, Concórdia, Tijucas, Maracajá, São Miguel do Oeste, Canoinhas, Porto União, Caçador, Herval do Oeste e Videira. O ato é resultado da promulgação do Decreto Estadual nº 1682 de 08 de setembro de 2008.

Atualmente, a Polícia Militar Ambiental conta com a sede do seu comando na capital, denominado Comando de Policiamento Militar Ambiental (CPMA) e 19 unidades espalhadas pelo Estado, onde 358 policiais militares ambientais trabalham diuturnamente na defesa do Meio Ambiente, patrimônio de todos os catarinenses.

Articulação atual

Galeria de Imagens

AmbientalAmbiental