Ambiental (BPMA)

Polícia Militar Ambiental

A Polícia Florestal do Estado de Santa Catarina surgiu pela primeira vez 1962, com sede na cidade de Curitibanos, sendo extinta em 1979. Em 1983 a PMSC volta a ter atribuições de policiamento de manancial e florestal e em 1989, a Constituição Estadual atribuiu também a Polícia Militar a competência da Proteção ao Meio Ambiente. Desta forma, em 1990 a Lei nº 8.039, criava a Companhia de Polícia Florestal, que passou a atuar efetivamente no dia 06 de Maio de 1992.

Através do Decreto nº 3.569, de 27 de Março de 1993 a CPPA passou a denominar-se Companhia de Polícia de Proteção Ambiental “Dr. Fritz Müller” pai da ecologia catarinense, justa homenagem ao “ Príncipe dos Observadores”.


Em cerimônia realizada no dia 22 de setembro na sede do Parque da Serra do Tabuleiro em Palhoça, o então governador do estado prestigiou a Guarnição Especial de Polícia Militar Ambiental, e promoveu a entidade, dando a mesma a estrutura de Batalhão de Polícia Militar Ambiental, com sede em Florianópolis e com unidades em Palhoça; Laguna; Joinville; Lages; Blumenau; Rio do Sul; Chapecó; Concórdia; Tijucas; Maracajá; São Miguel do Oeste; Canoinhas; Porto União; Caçador; Herval do Oeste e Videira. O ato é resultado da promulgação do Decreto Estadual nº 1682 de 08 de Setembro de 2008.


Atualmente, o Batalhão de Polícia Militar Ambiental, conta com um comando na capital denominado Comando de Policiamento Militar Ambiental (CPMA) e 19 unidades espalhadas pelo Estado, em que 358 policiais militares ambientais trabalham diuturnamente na defesa do Meio Ambiente, patrimônio de todos os catarinenses.


Articulação atual