Pesquisa da Esag avalia vínculos dos policiais com a corporação

Por: Cabo Rodrigo Costa, em 31/10/2018



Durante a tarde desta terça-feira, 30, cerca de 30 coronéis da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), que integram o Conselho Estratégico da instituição, puderam acompanhar o resultado da pesquisa “Vínculos dos Policiais Militares com a Corporação”.
O estudo apresentado pela doutora Ana Paula Grillo Rodrigues, do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag), que integra a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), analisou o grau de comprometimento, consentimento e entrincheiramento nos mais diversos segmentos da PM catarinense, com o propósito de compreender os reflexos dos vínculos na produtividade dos policiais.
Assim, com a pormenorização dos resultados o alto comando da corporação acaba tendo indicadores de gestão para melhorar os serviços prestados pela PMSC.
A pesquisa teve uma abordagem quantitativa, mediante aplicação em formato online. E a amostra foi de 6.212 pesquisados, de um universo de aproximadamente 11.000 policiais.
Ano de ingresso, nível de escolaridade, formação acadêmica, idade, local de atuação, responsabilidade financeira e gênero, foram as principais variáveis que nortearam o estudo.
De forma geral, dentre os diversos parâmetros levantados, o resultado da pesquisa evidenciou que quanto maior o nível de instrução, menor o grau de entrincheiramento, que é a necessidade de permanecer na corporação devido aos retornos materiais e aos custos associados à saída.
Da mesma forma, o estudo também apontou que as pessoas com maior tempo de serviço são aquelas que possuem os maiores vínculos. E também ficou evidente que houve um maior comprometimento por parte daqueles que ingressaram a partir de 2011, quando passou a ser exigido o nível superior para o ingresso na corporação.
“Com toda certeza a pesquisa pode nos auxiliar em muito. Ela nos permite fazer diversas avaliações, tanto para selecionar o perfil de ingresso como também serve como uma fonte de conhecimento gigantesca, que nos possibilita comparar e compreender com clareza muito indicadores”, avaliou o comandante-geral, coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior.

Ultimas Notícias Institucionais