Centro de Ensino da PM

Por: Arquivo PMSC, em 13/12/2004


Formatura de Novos Soldados

         Na manhã de 13 de dezembro, no Centro de Ensino da Polícia Militar, concluíram o curso de Formação de Soldados 284 novos policiais, que após sete meses de curso, com dedicação exclusiva passam a atuar na preservação da ordem pública.

         A turma leva o nome do Soldado PM Edgar Ramos que é uma homenagem póstuma a um colega de farda que veio a óbito durante o atendimento de uma ocorrência policial na cidade de Brusque.

         Durante a cerimônia foi entregue a medalha de mérito intelectual "Feliciano Nunes Pires" ao aluno Soldado Hélcio Luiz Lombardi, do 4º Pel./2ª CIA., por obter a primeira colocação geral no curso, com média geral de 9,24.
        Para abrilhantar a solenidade um pelotão da escola fez a apresentação do Quinquôncio, que é uma apresentação militar de movimentos ritmados e seqüenciados de ordem unida sem comando sendo muito aplaudidos pelo espetáculo apresentado.

         A cerimônia encerrou-se com a entrega de flâmulas, que identificam os pelotões da escola, fumaças coloridas com as cores da Bandeira do Estado de Santa Catarina e a despedida emocionada dos novos formandos.

MENSAGEM DO COMANDANTE
FORMATURA DO CURSO DE FORMAÇÃO DE SOLDADOS


         Vivemos, nesta data, um dia muito especial.

         Um dia que não é único, pois a Polícia Militar do Estado de Santa Catarina já realizou atos semelhantes em outras oportunidades, mas se trata de mais um momento de significativa importância para a Corporação e para a sociedade catarinense.

        Ao descrever este momento, as reflexões iniciam na própria criação da nossa instituição, há quase 170 anos, no dia 05 de maio de 1835.

       Criada para estar ao lado do povo; criada para manter a ordem pública; permanece sendo um braço forte do cidadão para proteger e, assim, ajudar na promoção do bem comum, princípio básico da democracia.

       Todavia, os tempos de hoje, além de nos proporcionarem um trabalho muito mais intenso, em razão da demanda da violência e criminalidade, faz-nos pensar na própria natureza humana que, não obstante possuir características de amor e bondade, revela, às vezes, o desnecessário e insidioso egoísmo e a conseqüente desarmonia.

       Neste contexto de conflitos encontram-se os policiais militares, em todos os níveis, para combater a criminalidade, ajudar os cidadãos, e também, infelizmente, conviver com algumas iniqüidades, resultantes da limitação da própria natureza humana.

       A sociedade passa por uma inquietude ética que causa confusão. As soluções desse complexo problema não estão apenas na ação do aparato policial. Bom seria que assim o fosse, pois com o imenso universo de ações e operações policias que realizamos; com a imensidade de interferência que fazemos para conter esse universo de dificuldades, certamente já estaríamos indo ao encontro do verdadeiro paraíso.

       Por isso conclui-se que as soluções para os problemas da segurança pública, além de passarem, necessariamente, pelos investimentos nos organismos policiais, passam, com certeza, pela iniciativa da própria sociedade, por intermédio de suas instâncias informais de controle social como a família, a escola, o clube, a igreja, etc.

      Cumpre, neste momento, destacar e agradecer ao Senhor Governador Luiz Henrique por estar acreditando no trabalho da Polícia Militar. Por entender que os serviços prestados pela Corporação vão ao encontro das expectativas da sociedade catarinense.

      E, se estamos, no dia de hoje, apresentando estes novos policias à sociedade catarinense, é devido a sua coragem, pois, mesmo com as limitações financeiras do Estado, oportunizou a admissão desta turma de soldados, que será fundamental para a promoção da segurança, demanda social tão importante nos dias atuais. 

     Dirijo-me, agora, aos novos Soldados da Polícia Militar.

     Caros policiais militares formandos.

     A nossa missão é de uma complexidade ímpar. Não raras vezes o único ponto de apoio do cidadão para uma situação de angústia, é o policial militar que está realizando o policiamento ostensivo.

    Por isso a atividade policial militar é de uma nobreza infinita e sua responsabilidade é fundamental para a relação humana e para a democracia.

     Esta complexidade a que nos referimos encontra-se estampada, sobretudo, na constatação de que, na realização de uma ronda, o policial militar poderá deparar-se com situações que vão desde a orientação de um endereço, a ajuda ao deficiente visual, o amparo à criança que atravessa a rua, até a sorrateira ação de criminoso armado.

     Toda esta conjuntura aqui descrita não tem o propósito de vos fazer estremecer ante a profissão assumida, mas principalmente, demonstrar a nobre missão que vos espera.

     Mas é preciso ser simples, como simples são as coisas mais belas. É preciso ser honesto e cauteloso com a vida.

     É necessário que a investidura no cargo; que o uso da farda, não seja motivo de soberba, eis que a ação policial deve escorar-se na lei. O policial militar fardado não é superior ao cidadão. Antes disso, o povo é usuário do serviço prestado pela nossa instituição.

    Trabalhem com a lei; estejam sempre ao lado da lei. Somente assim a própria lei vos dará proteção em qualquer atitude tomada.

     Os senhores, há pouco, fizeram um juramento. Ele não é apenas o cumprimento de uma formalidade. Este juramento tem a sublime definição de bem servir, atendendo, sempre os princípios que regem a administração pública. Mas, o juramento sempre proferido por todos nós, acrescenta ao policial militar o risco da própria vida, condição que nos proporciona ainda mais satisfação de pertencermos a esta categoria profissional de servidores públicos.

     Sintam-se, portanto, orgulhosos em terem abraçado este ofício. Vistam esta farda com prazer. Trabalhem com dedicação e com amor à população catarinense e à Polícia Militar. Mirem-se nos exemplos de correção e de disciplina.

     A tradição de bons serviços prestados à sociedade catarinense haverá de ser perpetuada e isto nós esperamos dos senhores.
 
     Em que pese a existência de obstáculos, vale a pena ser policial militar.

     E, na meditação da madrugada, quer no serviço de guarda ou nas rondas pela cidade, tenham sempre o pensamento naqueles que sempre acreditaram na Corporação; naqueles que, ao longo de tantos anos, construíram as nossas cores e os nossos símbolos e, acima de tudo, edificaram uma instituição valorosa na realização de serviço tão relevante para a população.

    Lembrem-se de que, mesmo enfrentando óbices, é preciso perseverar, eis que a vida nada mais é do que uma busca constante pelo aperfeiçoamento. É necessário que façamos a nossa parte da melhor maneira possível, colocando sempre o coração em cada gesto, em cada iniciativa.

    O desejo de todos nós é que os senhores encontrem neste ofício uma maneira de realização pessoal e profissional.

    Aproveitamos a oportunidade para desejar a todos um feliz natal, com as bênçãos do Criador; e um ano de 2005 cheio de paz , saúde e prosperidade.

    Muito obrigado.


 Florianópolis, 13 de dezembro de 2004.


EDSON IVAN MORELLI
Cel PM Comandante-Geral

 

Centro de Comunicação Social - CCS
(48) 229-6262
Fotos: Cb Aurélio

Ultimas Notícias Institucionais

  • Visita

    Itapoá: crianças visitam o quartel ...
    06/07/2018
  • Fronteira contra as Drogas

    Dionísio Cerqueira foi palco da form...
    06/07/2018
  • Continente

    22º BPM realiza reunião do programa...
    05/07/2018
  • 1ª Companhia

    Em Camboriú, PM realiza formatura do...
    05/07/2018
  • 25 anos

    2ª Companhia de Joinville é homenag...
    05/07/2018
  • GECt

    Guarnição Especial de Curitibanos t...
    05/07/2018
  • PMSC Mobile

    Comitiva da Polícia Militar de Tocan...
    05/07/2018
  • GECt

    Timbó Grande: PM contribui com a cam...
    04/07/2018
  • Chapecó

    2º BPM promove festa junina e o 1º ...
    04/07/2018
  • 20º BPM/Fron

    Arabutã: mais 41 alunos são certifi...
    04/07/2018