Guarnição Especial de Polícia Militar de Curitibanos completa 11 anos

Por: Soldado Flávio Ferreira de Souza, em 13/07/2017


A história de Curitibanos registra graves episódios ocorridos ao longo da sangrenta Guerra do Contestado, que envolveu as populações marginalizadas da região, vindas não somente das expulsões que a companhia "Southern Brazil Lumber & Colonization Company" promoveu na região da ferrovia "São Paulo-Rio Grande", mas também dos trabalhadores dela dispensados, e as forças armadas estaduais e os grandes fazendeiros da região.

Essas populações se agrupavam naquilo que chamavam de "redutos", que eram vilas onde se defendiam e onde produziam para subsistência, e eram inspirados pelas lideranças messiânicas dos monges José e João Maria. Esquecidos pelo Estado, e oprimidos pelos latifundiários e, depois, pela empresa de Percival Farqhuar, essa massa se revolta, o que resultou na Guerra do Contestado, conflito esmagado pelas polícias dos Estados do Paraná e de Santa Catarina, e pelas milícias dos fazendeiros. Eram - e, por vezes ainda são, chamados erroneamente de "fanáticos", porém, aquela forma religiosa de organização era a única maneira de se fazerem ouvir pelas autoridades.

Em 7 de dezembro de 1937, o capitão Aldo Fernandes aquartelou em edifício próprio a Companhia Provisória da Força Pública em Curitibanos. Em 27 de dezembro do mesmo ano, esta subunidade passou a denominar-se “Segunda Companhia Isolada”, com a finalidade de combater o banditismo remanescente da Guerra do Contestado.

Em 14 de outubro de 1982, deixou de pertencer ao 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM) Canoinhas, em virtude de ter sido ativado o 6º BPM em Lages. Curitibanos passou a pertencer a esse Batalhão, denominando-se 3ªCPM/6°BPM.

Efetivo da 3ª CPM EM 1983
Então, no dia 13 de julho de 2006, através do decreto 4.558, a 3ª/6º BPM passou a denominar-se Guarnição Especial de Polícia Militar de Curitibanos (GECt), antecedendo sua transformação em Batalhão de Polícia Miliatr, e teve como primeiro comandante o tenente-coronel Paulo César Rodrigues, contando com um efetivo de 126 policiais militares divididos em quatro municípios, Curitibanos, São Cristóvão do Sul, Ponte Alta do Norte e Frei Rogério.
Atualmente, a GECt está sob o comando do tenente-coronel Célio Oliveira de Araújo, e conta com efetivo de, aproximadamente, 140 policiais militares, distribuídos em sete municípios, sendo acrescentado então as cidades de Santa Cecília, Lebon Régis e Timbó Grande. O comando trabalha por meio de ações em parceria com a comunidade, buscando a prestação de serviços que preservem a segurança pública de forma participativa com todos os municípios abrangidos por sua circunscrição, visando à melhoria da qualidade de vida dos cidadãos do Vale Contestado.
Fotos históricas da GECt:
Banda da PMSC no centenário de Curitibanos em 1973
Desfile do centenário de Curitibanos em 1973
Desfile cívico de 1985
Desfile cívico de 1986
Desfile cívico de 1988
Equipe da PM nos jogos municipais de 1986
Em pé, o cabo Luis Fernando Pegoraro; agachado com fuzil na mão, o soldado Muraide Pereira de Almeida; e dentro da viatura como motorista, o soldado Izidoro Bento de Oliveira
Fotos: 3º sargento RR Márcio Pedrão e arquivo

Ultimas Notícias Institucionais

  • Segurança na melhor idade

    11º BPM/Fron encerra primeiro ciclo ...
    21/07/2017
  • 10º BPM

    Cão Brutus participa de gravação p...
    21/07/2017
  • Lages

    Policiais militares concluem treiname...
    21/07/2017
  • Comando-Geral

    Comandante-geral recebe a visita de i...
    21/07/2017
  • 19º BPM

    Araranguá: PM encerra série de entr...
    19/07/2017
  • CFSd

    São Miguel do Oeste: alunos soldados...
    18/07/2017
  • GEIc

    Polícia Militar garante a segurança...
    18/07/2017
  • GEBN

    Braço do Norte: nova diretoria do Co...
    18/07/2017
  • 16º BPM

    Palhoça: Proerd participa do Projeto...
    18/07/2017
  • Educação

    28º BPM: equipe Proerd realiza ciclo...
    18/07/2017