Oficial de Balneário Camboriú apresenta monografia na área de segurança pública

No dia 20 de junho de 2012 o tenente Ricardo Sartori do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) apresentou sua monografia com o título "Mineração de dados da Polícia Militar de Balneário Camboriú para geração de informação e conhecimento na área de segurança pública". O trabalho foi apresentado para uma banca de professores da Universidade do Vale do Itajaí - Univali como requisito para concessão do título de bacharel em ciências da computação.

A mineração de dados constitui-se em um conjunto de técnicas e ferramentas que são aplicadas em grandes quantidades de dados de uma empresa com o objetivo de descobrir informação e conhecimento útil e previamente desconhecido a partir destes dados. A monografia teve como objetivo, aplicar tais técnicas na base de dados de ocorrências da CRE190 de Balneário Camboriú, no que concerne somente às ocorrências deste município, com o intuito de descobrir novas informações sobre o trabalho da PM no município.

A base de dados de ocorrência foi extraída da CRE190 e trabalhada de tal forma a representar os dados das ocorrências em si (data, hora, localização, tipo de ocorrência), das pessoas envolvidas (sexo, idade, tipo de envolvimento na ocorrência) e dados da guarnição (tempos de empenho, deslocamento e atendimento, numero de policiais, tipo de viatura utilizada), de tal maneira que fosse possível estabelecer relação entre estas variáveis e que os programas de mineração de dados pudessem revelar novas informações sobre tais acontecimentos.

Foram extraídas aproximadamente 187000 ocorrências, dos anos de 2008, 2009, 2010 e 2011, as quais foram submetidas ao processamento de um software de mineração de dados conhecido como WEKA (http://www.cs.waikato.ac.nz/ml/weka/) e, após devidamente analisados, apresentaram uma série de informações, as quais cabe citar:

- Comprovação do peso que as ocorrências de perturbação do trabalho e sossego alheio possuem nos finais de semana, com baixo tempo resposta das guarnições mas alto tempo de empenho;

- Verificação que em grande parte das ocorrências atentidas pela PM não há contato com pessoas envolvidas e, quando há, somente uma pequena parte envolve algum agente criminoso;

- Constatação de que os tempos de empenho e deslocamento tendem a baixar de forma inversamente proporcional a gravidade da ocorrência: quanto mais grave a ocorrência, mais rápido o atendimento;

- Verificação de que a PM em Balneário Camboriú consome 28% do tempo total de atendimento em ocorrências de crimes (C), 24% em atividades operacionais (P) e 15% em emergências (E);

- Vítimas de homicídios (consumado ou tentado) com idade entre 18 e 25 anos (adulto jovem) são do sexo masculino com 97% de certeza;

- Agentes de homicídios ou tentativas de homicídios são do sexo masculino com 94,5% de certeza;

- Constatou-se ainda a impossibilidade de se tentar prever o número de ocorrências de um mês com base no mês anterior ou de se prever ocorrências de roubo ou homicídios com base nas demais ocorrências de um período de tempo.

(Texto: Tenente Tiago Teixeira Ghilardi :: Foto: Isabel Debatin, estagiária de Comunicação Social do 12º BPM)