Policial militar do 1º BPM apresenta tese de doutorado e se torna doutor por duas universidades

O dia 27 de setembro de 2016 foi especial para o cabo da Polícia Militar de Santa Catarina, Guilherme Nazareno Flores. O policial militar, lotado no 1º Batalhão de Polícia Militar (BPM) em Itajaí, defendeu sua Tese de Doutorado intitulada ”Desenvolvimento e (Des)Governança Ambiental Global: Paradoxos da Regulação Jurídica da Tríade Produção-Consumo-Resíduos”.

O agora doutor Guilherme sustenta que o atual modelo ou estágio de desenvolvimento econômico e social adotado pela humanidade, por sua vez, baseado no sistema capitalista globalizado, privilegia a formação de uma tríade baseada no produtivismo, consumismo e a geração de resíduos tóxicos e perigosos altamente poluentes e patológicos.

O fio indutor do trabalho acadêmico estabelece uma ligação causal entre esse panorama e uma série de consequências socioambientais, como a injustiça ambiental, devido aos sérios problemas causados ao meio ambiente, ao bem estar humano, à saúde coletiva. Nesse sentido, criticou a insuficiente arquitetura jurídico-política de governança global desenhada para regular tais fenômenos, o que agrava o cenário de crise ambiental.

“A Tese revela uma face perversa do sistema tal qual o concebemos e questiona suas bases e fundamentos. Suas consequências geram patologias graves ao indivíduo, como cânceres, demências, problemas neurológicos e reprodutivos, de desregulação hormonal, mutações e má formações genéticas, suicídios, mortes. Tudo isso ocorre, especialmente nas sociedades mais vulneráveis – entenda-se pobres, miseráveis, invisíveis socialmente – e que por sua condição, acabam não tendo voz perante o mundo para relatar as injustiças ambientais a que são submetidas pelas grandes corporações“, destacou Guilherme.

A Tese foi feita em convênio de dupla titulação entre a Univali e a Universidad de Alicante, na Espanha, modelo através do qual o doutorando recebe dois diplomas: o de Doutor em Ciência Jurídica pela universidade brasileira, e o de Doctor en Derecho pela universidade espanhola e que é válido em toda a União Europeia. Para tanto, o cabo Guilherme visitou a instituição estrangeira em 2012, 2013 e ainda passou parte do ano de 2015 imerso em estudos e pesquisas sob a tutela de seu Co-orientador europeu.

Paralelamente ao serviço policial que já desenvolve no 1º BPM, o cabo Guilherme, que também é professor universitário, se mostra empolgado para aprofundar pesquisas de alto nível em segurança pública e assim contribuir socialmente através da produção de conhecimento na área. Isto porque os temas abordados na sua tese mantém íntima relação com as causas que geram insegurança.

A Tese foi elaborada no âmbito Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência Jurídica da Universidade do Vale do Itajaí - Univali, e está ligada à área de concentração “Constitucionalidade, Transnacionalidade e Produção do Direito” e à linha de pesquisa “Estado, Transnacionalidade e Sustentabilidade”, tendo sido aprovada por unanimidade com “conceito A” e laureada por louvor e distinção, as máximas comendas na academia.