Foto: Lema da unidade
Foto: Foto da unidade da Polícia Militar de Santa Catarina
Notícias
Cidadão
Unidades
Boletim de Ocorrência
Denúncia
Contato

Lei que formalizou Colegiado Superior de Segurança Pública completa um ano


Apesar de ativo desde janeiro de 2019, a Lei complementar nº 741, que formaliza a criação do Colegiado Superior de Segurança Pública completou um ano neo último dia 12. Criado dentro da reforma administrativa do Governo do Estado, o modelo é pioneiro e único no país. Com ele, não é a secretaria quem define sozinha os rumos da segurança pública do Estado, mas sim, as quatro instituições unidas, no combate à criminalidade.

No Colegiado, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar e Instituto Geral de Perícias estudam, analisam, conversam e decidem em comum acordo assuntos relevantes para a segurança de Santa Catarina. Os representantes possuem total autonomia, e, a cada ano, o presidente do colegiado é alterado, não deixando ninguém de fora. 

"A integração e soma de esforços das instituições que compõem o colegiado faz com que aconteça, na prática, a aproximação entre todos os órgãos do setor, o que é muito produtivo e saudável para toda a sociedade catarinense", avaliou o comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina, coronel Dionei Tonet.

Queda histórica dos índices de criminalidade

O novo modelo de gestão vem mostrando efeitos positivos nos índices de criminalidade. De um ano para cá, a Segurança Pública de Santa Catarina bateu recordes históricos, de queda, em diversas áreas. Os feminicídios, por exemplo, caíram 27%; os homicídios registraram o menor índice em 12 anos, já os latrocínios chegaram a atingir uma queda de 80% este ano e os roubos e furtos a instituições financeiras registraram uma queda de 70%.

Os dados são semanalmente registrados pela Gerência de Estatística e Análise Criminal e toda a semana são revistos e discutidos pelo colegiado.

:: Informações da Secretaria de Estado da Seguraça Pública