Foto: Lema da unidade
Foto: Foto da unidade da Polícia Militar de Santa Catarina
Notícias
Cidadão
Unidades
Boletim de Ocorrência
Denúncia
Bem-Te-Vi

PMSC é contemplada com recursos do TJSC por cinco projetos sociais


Na tarde desta sexta-feira, 20, o comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior, participou da solenidade de entrega dos certificados para as propostas de abrangência regional e estadual no projeto "Pequenas infrações gerando grandes transformações", idealizado pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). Durante o ato, foram beneficiadas 19 iniciativas, com uma verba total de R$ 6 milhões.

Na oportunidade, o público presente conheceu detalhes de cada iniciativa, assistindo a vídeos produzidos junto às organizações beneficiadas. Entre os participantes, estiveram presentes magistrados, instituições públicas, entidades filantrópicas e representantes da sociedade catarinense.

Convidado para o evento, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, elogiou a iniciativa da corte catarinense. "Hoje, temos aqui, neste evento, uma resposta positiva, apurada e exemplar. Quem dera pudéssemos extrair sementes desse solo para enfrentar o mundo crepuscular que nos envolve", enalteceu.

Entre os projetos contemplados, estão cinco iniciativas de autoria da PMSC. Com as contribuições, a corporação poderá equipar aeronaves e reforçar o aparato à disposição das tropas. "Essa forma de interação do Poder Judiciário com a sociedade e com órgãos e instituições que atendem a sociedade é extremamente feliz. Os critérios técnicos de seleção dos projetos tornam tudo absolutamente transparente e legítimo. A forma de liberação dos recursos permite que os investimentos sejam feitos rapidamente, de forma efetiva", reforçou o comandante-geral da PMSC, coronel Araújo Gomes.

O presidente do TJSC, desembargador Rodrigo Collaço, destacou que o evento chega ao segundo ano com sua importância fortalecida, pela grande procura de entidades públicas e privadas interessadas na proposição de projetos. "Observamos que cada vez mais entidades públicas e privadas, que prestam serviços relevantes à sociedade, têm feito inscrição e apresentado projetos para avaliação. Temos conseguido destinar recursos que eram provenientes de penas aplicadas a pessoas que cometem pequenos delitos ao financiamento dessas atividades, que são muito relevantes para a sociedade catarinense", destacou o desembargador.